Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2006
TRATADO DE SALVATERRA DE MAGOS

Após a morte da rainha de Castela (Verão de 1382), D. Fernando alterou a decisão que tinha tomado em Elvas, pouco tempo antes  (Agosto de 1382), de casar a infanta D. Beatriz, sua filha, com o infante D. Fernando (futuro Fernando I, rei de Aragão).

 

Com o acordo, pelo menos aparente, do seu Conselho, decidiu propor ao rei de Castela, agora viúvo, o seu casamento com D. Beatriz.

 

Aceite o referido casamento, veio a realizar-se o Tratado de Salvaterra de Magos (a 2 de Abril de 1383), sendo a Infanta entregue ao seu marido, D. João de Castela, no mês de Maio.

 

Nas Cortes de Valladolid (Agosto de 1383) e nas Cortes de Santarém (Setembro de 1383) foi dado o acordo a tais decisões.

 

O Tratado de Salvaterra de Magos estipulava:

 

·        A perpétua separação dos reinos de Portugal e Castela

·        A proclamação de D. Beatriz e de seu marido como reis de Portugal, desde que D. Fernando viesse a falecer sem herdeiro varão

·        A sucessão da Coroa portuguesa para os filhos de ambos, caso os viesse a haver

·        A sucessão da Coroa portuguesa para o rei de Castela e seus descendentes, não havendo filhos do casamento entre D. Beatriz e D. João, nem havendo filhos de outras filhas de D. Fernando

·        A concessão da regência do reino a D. Leonor de Teles, caso falecesse D. Fernando sem mais herdeiros, e enquanto D. Betariz não tivesse filho varão de catorze anos

·        E outras cláusulas supletivas (ver Crónica de D. Fernando de Fernão Lopes, cap. CLVII e seguintes)

 

O INTERREGNO

 

Nos termos do Tratado de Salvaterra de Magos, D. Leonor de Teles, à morte de D. Fernando (22 de Outubro de 1383) assumiu a regência do reino. Embora continuando a cercar-se pela alta nobreza – na qual se salientava o conde de Andeiro – tentou uma aproximação às camadas superiores do povo, nomeadamente de Lisboa, prometendo à respectiva Câmara a entrada de homens-bons das cidades no Conselho Régio, e o reforço de medidas discriminatórias contra os judeus.

 

No entanto, a aclamação de D. Beatriz e do rei de Castela, seu marido, como reis de Portugal ia causando tumultos em vários lugares, como por exemplo em Lisboa, Santarém e Elvas.

 

Reacenderam-se as “uniões” (tumultos) de dez anos atrás.

A grande nobreza estava dividida entre partidários e adversários de Leonor de Teles-Conde de Andeiro.
publicado por Pedro Nuno às 14:43
link do post | comentar | favorito
|
8 comentários:
De Anónimo a 16 de Março de 2014 às 10:12
Este tratado revela a falta de tato político de D.Fernando, e a constante volubilidade do seu caráter.
É também evidente a falta, nessa época, de conselheiros reais, na corte portuguesa que acolitassem o monarca luso.
Para além da dependência doentia do rei por Leonor Teles,este tratado demonstra uma ingenuidade negocial absoluta que, para além do 1º ponto, coloca sistemáticamente em risco a integridade e independência nacionais.

Juvenal Nunes
De Leonor Teles a 19 de Março de 2014 às 21:27
ahahahahahahahhahaahahahahahhahaaahahahahahahahahahahahhahha



*desculpem-me...os autores do blog :)

Leonor Teles (com competência e outras qualidades...)
De FIAA a 10 de Abril de 2014 às 22:48
Este momento teve o patrocínio de:

- AZEITE GALO, A CANTAR DESDE A CRISE DE 1383-85!




* FIAA-Fundação Irmandade dos Acólitos Anónimos
De Anónimo a 19 de Setembro de 2017 às 19:09
obrigado
De Anónimo a 19 de Setembro de 2017 às 19:05
ISTO REVELA AQUILO que os tugas sao : violamos mulheres ,matamos porque nao é nosso
De Anónimo a 19 de Setembro de 2017 às 19:06
CONCORDO CARALHO
De Anónimo a 19 de Setembro de 2017 às 19:07
O RUELLA É GAY
De Anónimo a 19 de Setembro de 2017 às 19:08
é com um "L" ruella

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Dezembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.posts recentes

. TRATADO DE SALVATERRA DE ...

. DESENVOLVIMENTO (UMA OPÇÃ...

. D. Dinis “O Lavrador”

. CRISE DE 1383-1385

. D. Fernando (1367-1383) Q...

. D. Pedro (1357/1367) Ques...

. D. Afonso IV (1325-1357) ...

. D. DINIS (1261-1325) Ques...

. D. FERNANDO - APONTAMENTO...

. D. PEDRO I - APONTAMENTOS...

. D.AFONSO IV - APONTAMENTO...

. D. Fernando

. D.Pedro I

. D. Afonso IV

. D. Dinis

. D, Afonso III

. D.Sancho II

. D. Afonso II

. D. Sancho I

. D. Afonso Henriques

.arquivos

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

blogs SAPO
.subscrever feeds